sábado, 23 de maio de 2009

O COMEÇO DE UMA VIDA




Navio Império

Foi aos 21 anos, no dia 3 de Maio do ano 1965, que assentei praça no Batalhão de Caçadores 6, Cidade de Castelo Branco. Terminada a recruta dois meses depois, fui direitinho para o Regimento serviço de Saúde Cidade de Coimbra.

Bonita e bela Cidade banhada pelo rio Mondego, e com bons jardins, permaneci neste quartel quatro meses, afim de fazer a especialidade: Maqueiro e Auxiliar de Enfermeiro, depois fui para o Hospital Militar Principal Lisboa à Estrela, estagiar no serviço de Urologia.
Terminada a especialidade, fui de novo para Castelo Branco, desta vez para o Regimento Cavalaria 8, onde permaneci apenas duas semanas.
Fui de fim de semana à terra, e quando regressei à segunda feira, recebo a notícia que eu mais um colega meu, estávamos mobilizados para o Ultramar. Ambos dois para o dito batalhão 1875. Eu na companhia 1494, ele na 1495.

Este colega de arma chamado Carrola, do Casal da Serra na área do Tortozendo, chegando a Abrantes, foi encontrar os militares do dito Batalhão já a usufruir os dez dias de Férias, que pelo próprio direito gozavam todos os militares que eram mobilizados.
Em Abrantes tomámos uma refeiçao de feijão, que mais parecia papas de milho. Fomos para a terra gozar estas ditas férias, quando uma bela segunda feira ando descontraidamente a passear no Fundão e alguém me disse que tinha chegado ao Telhado, um telegrama urgente para me apresentar no referido Quartel.
Não estou com meias medidas, meto-me num Táxi, fui direitinho a casa, pego na trouxa e fui apanhar o comboio a Castelo Novo, salvo erro se a memória não me trai.
Chegado ao Regimento Infantaria 2, em 1966, hoje com o nome de Cavalaria "não sei quantos", chegado ao depósito de material para receber a farda verde ou seja entregar a farda cinzenta - foi no período de mudança da cinzenta para a verde- encaro de frente com um rapa zito que fez a recruta comigo: o Moura, de Aldeia Nova do Cabo.

Já noite, lá seguimos para Lisboa, embarcamos no Barco Império e desembarcamos em Luanda a 27 de Fevereiro, com destino ao campo do Grafanil por onde passaram milhares e milhares de jovens, onde quase até as melgas nos queriam comer. Não é que me incharam as mãos com tantas mordidelas !

CAPITULO DOIS: TÊM SEGUIMENTO EM BREVE...

4 comentários:

Ilidio disse...

o' Angelo e se nos' antigos combatentes conseguise-mos ir visitar e recordar, nem que fosse so' LUANDA, aqui fica a minha sugestao.de certeza que serio desejo de muitos ex colegas, sera' que es' capaz de mobilizar e sensibilizar um grupo? se tiveres de acordo podes contar comigo.um abraço Angelo e continua com as tuas memorias.Ilidio carrajola

Joaquim Angelo disse...

Amigo Ilídio era com grande prazer que eu faria uma viagem aos locais que pisamos há quarenta e três anos mas na certeza porém não iríamos encontrar ninguém conhecido porque devido ao desenvolvimento de Angola penso que tudo esteja diferente e naturalmente para melhor e ainda bem.
Seria uma ideia mas ainda não vi alguém que manifesta-se esse desejo, o cabo condutor o Crespo esteve neste ultimo convívio em Porte de Mós e que veio de lá relativamente há poucos anos e segundo ele diz que nos supermercados estão,praticamente vazios, que há falta de tudo um pouco.Também será complicado conseguir visto para se visitar Angola...

Ilidio carrajola disse...

amigo e companheiro (QUIM) tenho acompanhado mais ou menos de perto as tuas memorias sobre a nossa guerra naquelas longinquas terras do norte de ANGOLA por onde nos lançaram as' feras, entre (comas) claro esta' mas como sobemos sobreviver contra tudo e todos, aqui estamos a recordar mais um episodio um pouco caricato mas verdadeiro, aqui vai. num de uns NATAIS que por la' passamos depois de comer-mos e bebermos um nosso companheiro (BIGODES) por força queria mais vinho, foi-lhe informado que nao podia ser, ele o (BIGODES) nao satisfeito com a decisao do oficial de dia, foi a caserna buscar a (G3) e la' vai,deu uma rajada no barril onde o vinho de escoou pela rua abaixo, o BIGODES coitado foi entao metido na casa das ratas onde saiu na manha seguinte. aproveito esta data para te desejar a ti a tua Exma. familia um feliz NATAL e um 2010 com muita saude.Estes votos sao extensiveis a todos os nossos ex.companheiros que por la' estiveram no palco de guerra.Ilidio carrajola

Anónimo disse...

Peço desculpa por fazer uma pequena correcção.
Embarcámos em Lisboa no dia 18 de Janeiro e desembarcámos em Luanda no dia 28 de Janeiro (onze dias de viagem. Paquete IMPÉRIO.

Já agora para completar
Regressamos no QUANZA. Embarcámos em Luanda no dia 24 de Abril e chegámos a Lisboa em 8 de Maio ( quinze dias de viagem ), por causa do mau tempo, por fim só nos lavávamos com água salgada. Os oficiais tinha direito pela manha a uma bacia com um pouco de água doce para lavar os olhos.Embora fosse há 42 anos, ainda me recordo de muitas coisas porque passámos (como se fosse hoje) Jorge Isidoro